Como me tornar e permanecer um bom empresário?

No livro “Leis Sistêmicas na Assessoria Empresarial”, Bert Hellinger traz diversos pontos sobre como se tornar e como permanecer um bom empresário.

Estes pontos são elencados a partir do olhar sistêmico que ele desenvolveu nos estudos e no trabalho com a Constelação Sistêmica e, posteriormente, no desenvolvimento desse conhecimento para as empresas através da Constelação Organizacional.

Em parceria com o Ipê Empresarial, o braço do nosso Instituto especializado no trabalho sistêmico com empresas, trazemos aqui estes pontos levantados por Hellinger e também um breve aprofundamento para ajudar você a compreender este conhecimento.

Leia e perceba que, apesar de simples, o conhecimento sistêmico aplicado nas organizações é extremamente poderoso para auxiliar uma boa estruturação no seu papel como empresário e também como líder de um sistema.

*As orientações *

Serviço

Antes de tudo – Tenha algo a oferecer que sirva aos outros. Quanto mais os outros precisarem do que tenho para oferecer, mais importante isso se torna. Então, nada mais se opõe ao sucesso. O que destaca um empresário? Ele tem aquilo de que os outros precisam e o torna acessível a eles. Quanto mais tiver aquilo de que os outros precisam, maior será a sua reputação e seu sucesso. Em resumo: uma empresa serve. Quanto mais significativo seu serviço, maior a sua influência.

Servir é o foco do empresário que experimenta o crescimento. Seu trabalho é baseado naquilo que ele é capaz de servir aos outros através do que ele detêm de ferramentas e de conhecimentos.  Todo o entorno circula ao redor do seu serviço.

O dinheiro, o lucro e as boas oportunidades são reflexos da sua disponibilidade de servir. Algo importante aqui é aprender que servir não significa se tornar “serviçal”.

O sentido aqui é mais profundo: o movimento profissional de servir se faz conectado com a necessidade dos outros que eu posso suprir, a partir da minha capacidade pessoal e profissional. E por colocar isto à disposição, de forma verdadeira, sou remunerado.

Ajudantes

1 – Um empresário precisa de ajudantes. Ele deve conquistar funcionários, treiná-los e orientá-los de forma adequada para que gerem e ofereçam às pessoas da melhor forma possível aquilo que tem para oferecer. Assim tem que produzir e também vender aquilo que tem para oferecer.

Bert Hellinger, no livro “Leis Sistêmicas na Assessoria Empresarial.

O empresário deve assumir a sua responsabilidade de conduzir e formar pessoas. Só assim ele pode expandir o alcance daquilo que ele tem a oferecer a partir do seu serviço.

E, neste caminho, ele também realiza uma de suas mais valiosas funções: o desenvolvimento de pessoas que integram o movimento que ele realiza com o seu trabalho.

Assim ele serve tanto no ambiente externo quanto no contexto interno de sua empresa. Novamente, é seu serviço que o coloca em uma boa posição empresarial.

Liderança

2Um empresário deve liderar. Lidera por meio de sua ideia. Lidera através da fabricação. Lidera por meio da venda e de tudo o que é necessário para isso.

Bert Hellinger, no livro “Leis Sistêmicas na Assessoria Empresarial.

 

Há um peso no papel da liderança. Talvez por isso tantas pessoas tenham resistência em exercer esse papel.

Liderar não significa mandar e também não significa poder puro e simples. Liderar é conduzir um grupo de pessoas atento as suas necessidade como empresário ao mesmo tempo em que considera aquilo que a equipe e que o mercado precisam.

Isto não é fácil de ser feito. Muitas vezes, cada parte dessa equação aponta para uma direção diferente. E este é o peso desse papel: definir, em cada decisão, a forma como cada parte terá que ser gerida para que os objetivos sejam alcançados.

Concorrência

3 – Um empresário encara a concorrência. Através da concorrência, melhora seu produto. Assim, serve ainda mais àqueles que precisam.

Bert Hellinger, no livro “Leis Sistêmicas na Assessoria Empresarial.

Pode-se falar que a concorrência pode auxiliar o negócio ao mantê-lo atento ao que está sendo oferecido. Por isso, é um mecanismo saudável pode se transformar em uma ferramenta ao seu favor.

A concorrência tem a capacidade de ressaltar em quais pontos o seu serviço ou processo é falho e precisa de revisão. Ela é capaz de fornecer informações preciosas sobre o que o seu cliente deseja, mas talvez ainda não consiga encontrar em você ou na sua empresa.

Proteção

4 – O empresário defende sua empresa contra ataques e a protege de forma adequada. Ele permanece confiante e autônomo.

Bert Hellinger, no livro “Leis Sistêmicas na Assessoria Empresarial.

Defender-se de forma justa e adequada em relação aos potenciais ataques direcionados a sua empresa é sustentar uma crença a respeito daquilo que você ou sua empresa oferece.

Por isso, sua disponibilidade em defender o seu serviço é um reflexo do quanto você está conectado com o que você oferece. Assim, essa conexão é um sinal claro do foco implementado na sua empresa.

A atenção é necessária para sempre proteger e defender o seu negócio e a sua equipe de forma justa e adequada. Críticas existem e, de certa maneira, são importantes para nos auxiliar a ver determinados pontos cegos.

Um bom empresário é capaz de lidar com aquilo que é necessário ajustar e aquilo que precisa ser defendido, percebendo a diferença entre os dois.

Em grupo

5 – O empresário sabe que depende de outras pessoas, com as quais deve realizar coisas em comum. Ele sabe como conquistá-las e conservá-las. 

Bert Hellinger, no livro “Leis Sistêmicas na Assessoria Empresarial.

Portanto, quando falamos de liderança, é preciso que o empresário esteja atento ao fato de que poderá fazer poucas coisas sozinho. Ele precisa dos clientes, do mercado, de si próprio, dos recursos, dos intermediários, etc.

O trabalho é uma manifestação sistêmica, uma vez que ele precisa de pelo menos duas partes: quem oferece e quem compra. Assim, é na interrelação desses elementos que o serviço e o sucesso podem existir.

Um bom empresário precisa estar ciente a respeito da importância da colaboração e do feedback entre aqueles que integram o sistema da organização.

Sucesso

6 – Um empresário se alegra com seu sucesso, pois seu sucesso traz felicidade. Quando o empresário está feliz e mostra isso aos outros, seus funcionários se alegram e, com eles, suas famílias.

Bert Hellinger, no livro “Leis Sistêmicas na Assessoria Empresarial.

Sustentar a alegria e o sucesso não é fácil. Por isso, observamos todos os dias pessoas que se abstêm de usufruir deles.

Ter sucesso e felicidade é ser responsável por sua própria vida. Uma vez que tudo corre bem, não há muito em que possa ser projetado como culpa por algo que não dá certo. A responsabilidade fica claramente explicitada na felicidade.

Assim, também não é possível permanecer exigindo mais. A felicidade e o sucesso são fatores que nos convidam para o agir.

Responsabilidade

7 – Um empresário permanece, junto com vários outros indivíduos, em uma comunidade solidária. Ele sabe que a sorte de muitos depende do seu sucesso. Por isso, ele o multiplica, com a ajuda de muitos, que o auxiliam para garantir o fundamento da vida de vários.

Bert Hellinger, no livro “Leis Sistêmicas na Assessoria Empresarial.

Ser empresário e gerir uma empresa é um papel de extrema responsabilidade. Já fizemos inúmeros exercícios sistêmicos onde olhamos para o papel do empresário.

É sempre possível observar que a responsabilidade do empresário é de muitas vezes sustentar um campo que muito dependem, de forma direta e indireta. E ele, como topo desse sistema, é que deve sustentar todo o movimento que está abaixo dele.

Esta é a comunidade solidária que Hellinger se refere ao escrever este trecho. A interdepedência de todos é visível no papel do empresário e da empresa.

Sucessão

8 – Um empresário transmite sua empresa, no momento certo, a um sucessor adequado. Ele entrega a ele os recursos de que precisa para ser bem-sucedido. Ele continua sendo a alma de sua empresa. Seu espírito bom continua atuando nela.

Bert Hellinger, no livro “Leis Sistêmicas na Assessoria Empresarial.

Ao reconhecer a necessidade de sucessão, o empresário entende que o serviço da empresa  ultrapassa o papel do próprio gestor e fundador e, por isso,  deve seguir adiante mesmo quando seu papel naquele sistema está sendo finalizado.

Quando feita de uma maneira adequada, a sucessão permite que o papel do empresário fundador se torna uma força oculta e positiva na empresa. Como escreve Hellinger, ele permanece como a alma da empresa.

Servir à vida

9 – Um empresário deixa sua empresa aos desenvolvimentos que cabem a ela, mesmo quando estes divergem de suas ideias. Ele a deixa à corrente do tempo, que também passa por ele, e a observa ir de forma benévola.

Bert Hellinger, no livro “Leis Sistêmicas na Assessoria Empresarial.

Perceber que a empresa presta um serviço que vai além do empresário e sua intenção é essencial para o sucesso do negócio.

Por isso, um bom empresário consegue permitir que o movimento da vida transpasse sua empresa para além daquilo que é o seu direcionamento inicial.

Ele está atento para as condições que mudam de tempos em tempos e busca se comportar com maturidade quando algo não vai de acordo com as suas idéias.  Ele sabe que tanto a sua vida quanto o seu trabalho estão a serviço de algo maior.


Os cursos e eventos do Ipê Empresarial auxiliam empresários e organizações a reconhecerem e utilizarem de forma positiva a força sistêmica para o alcance de melhores resultados. 

Entre em contato e saiba mais sobre os nossos eventos e cursos! 

Deixe uma resposta