[Constelação Empresarial] – As empresas sob o olhar da Constelação Familiar

Olhando para a solução de problemas empresariais através da Constelação Empresarial


 

Em um mundo cada vez mais global e compartilhado, que impõe ajustes cada vez mais velozes e eficientes por parte das empresas, muitas vezes os métodos tradicionais necessitam de novos conhecimentos e ferramentas que tragam uma visão mais ampla para lidar com as mudanças e atingir resultados.

A Constelação Empresarial é uma ferramenta cada vez mais utilizada como uma ferramenta de Consultoria Sistêmica para apoiar líderes que têm a missão de construir, guiar e desenvolver organizações.

Através desta modalidade de análise de problemas e apoio na tomada de decisão, é possível perceber as correlações e a origem de dificuldades nas organizações, assim como ganhar novas informações e percepções sobre determinada área, setor, produto, equipe ou mesmo da organização como um todo. Muitas corporações já utilizaram este trabalho em momentos de fusões e aquisições, como forma de integrar as culturas e e equipes, assim como para escolha de sócios e investidores da organização.

Ela também é um método que pode ser utilizado em empresas de todos os tamanhos, não encontrando limitações seja na sua aplicação em empresas familiares ou de grande porte.

As Constelação aplicadas aos negócios, oferecem uma metodologia com a qual se podem esclarecer dúvidas, assim como fortalecer aquilo a liderança, para que ela se torne a base capaz de sustentar o crescimento da organização.

Sua teoria veio dos estudos e observações do psicoterapeuta alemão Bert Hellinger. O profissional, ainda vivo, apontou seus estudos e suas observações para os relacionamentos familiares, mais tarde ampliando esse olhar para qualquer relacionamento que envolva pessoas.

Sua teoria fala de como as partes de um sistema se influenciam mutuamente, assim como produzem efeitos entre si.

A Constelação Empresarial ou Organizacional têm se mostrado um instrumento inovador, principalmente como uma possibilidade de verificação do que está atuando numa dificuldade que se manifesta em uma empresa.

Através da dinâmica da Constelação Organizacional, é possível encontrar o que está atuando nas dificuldades de vendas, ineficiência, conflito entre equipes, definições estratégicas e muitos outros campos que compõe a atividade empresarial.

A empresa e seus sistemas

O conhecimento de Hellinger é direcionado para as inter-relações entre indivíduos dentro de um sistema, e como eles mutuamente podem se influenciar.

Dessa forma, a empresa é um grande sistema, e é também subdividida em sistemas menores, como suas áreas funcionais: Recursos Humanos, Marketing, Vendas, Compras, etc.

Cada área é também em si própria um sistema, abaixo do sistema principal que é a empresa em sua totalidade.

O que Hellinger descobriu, é que, dentro de um sistema, todos se influenciam, mesmo sem que haja contato direto ou intenção de influenciar ou receber influência.

Se influenciam simplesmente pois estão todos conectados através do mesmo campo e propósito.

Assim, por exemplo, todos os funcionários que fazem parte da àrea de marketing estão vinculados entre si. E estes também estão vinculados ao sistema empresarial da empresa onde estão contidos.

O olhar para o todo da Constelação Empresarial

Assim, a teoria sistêmica não considera mais o indivíduo isolado, mas direciona o olhar para o todo.

Da mesma forma, a Constelação organizacional não olha somente para o indivíduo e sim para a interação entre todos os que fazem parte daquele sistema empresarial.

Dessa forma, é possível olhar para uma solução que considera o que está além do que é verbalmente comunicado entre as partes de uma empresa.

Um exemplo:

A meteorologia atribui propriedades específicas aos tufões. Os tufões caracterizam-se por um movimento de ar circular, apresentando uma queda de pressão em seu centro, demonstram ter uma longa vida, podendo dividir-se etc.

Se analisarmos os respectivos elementos que encontramos em todo lugar na atmosfera: átomos e moléculas que compõem a atmosfera, água em diferentes estados de agregado, partículas de pó, radiação solar e outros.

Se quiséssemos então procurar as propriedades específicas de tufões nos respectivos elementos dos quais eles consistem, essa busca certamente não teria sucesso: mesmo a soma dos respectivos elementos não fornece ao total nada que possua essas propriedades.

Essas propriedades evidenciam-se somente se os elementos, em determinadas condições, apresentarem um inter-relação específica. E somente essa inter-relação específica dos elementos gera todas aquelas propriedades de denominamos como fenômeno “tufão”. (Exemplo extraído do livro “Constelação Organizacional”, de Grochowiak e Castella)

Nesse sentido, a constelação organizacional é capaz de trazer à tona dificuldades não processadas da organização em foco, e dessa forma, aproximar do insight que permite a mudança para uma postura mais estratégica e ligada ao resultado desejado para a empresa.

Hellinger e o olhar sistêmico

A Constelação Organizacional veio do conhecimento trazido por Bert Hellinger e sua Constelação Sistêmica. Esse processo teve sua primeira aplicação principalmente no campo da terapia pessoal e familiar, onde encontrou grandes resultados.

A profundidade desse olhar para a influências entre indivíduos foi que permitiu a sua ampliação na aplicação sistêmica organizacional. Isso significa que, onde há uma forma de sistema – como as organizações e empresas – essa ferramenta pode ser aplicada.

“A Constelação Sistêmica é uma dinâmica que foi desenvolvida pelo alemão Bert Hellinger e tem como objetivo buscar soluções para todo tipo de questão: familiar, pessoal, profissional e, inclusive, organizacional. Hellinger constatou que em todo sistema existe uma dinâmica oculta que influencia seus membros e sua relação com esse sistema. A Constelação traz luz à essa dinâmica, até então oculta, nos permitindo perceber o que não está visível, revelando insights e favorecendo a solução da questão.“ Revista Exame. Matéria A outra ousadia do RH da GE – Constelações Organizacionais.

 

Onde a Constelação Empresarial é indicada?

A Constelação Empresarial tem aplicação ampla e pode ser utilizada na grande maioria das questões que acontecem em uma organização. Alguns exemplos de indicação são para:

  • verificar situações recorrentes dentro de uma equipe (como alta rotatividade de colaboradores, falta de liderança ou liderança desrespeitada, grande incidência de falta de funcionários, postura gerencial, dificuldade de atração de talentos, etc);
  • olhar para conflitos entre as áreas funcionais;   
  • baixa eficiência de determinadas estratégias;
  • verificar a validade de novas estratégias;
  • perceber o que atua na dificuldade de crescimento da empresa;
  • Perceber como o histórico de fundadores e a linha de sucessão está influenciando a empresa;
  • validação da cultura empresarial;
  • validação de produtos;
  • entre outros.

O atendimento pontual em Constelação Empresarial ou Organizacional é feito por um Constelador Organizacional.

O atendimento para cada tema pode levar algumas horas, e embora rápido dentro das possibilidades de consultoria, é algo muito profundo que olha para o que está além da manifestação visível do problema.

Após um atendimento pontual, é comum que novos insights e novas soluções surjam, trazendo uma nova possibilidade da organização de lidar com a dificuldade e dessa forma ajustar suas estratégias e voltar para o caminho de crescimento.

A outra forma de olhar para as questões da sua empresa é através da Consultoria Sistêmica.

Ela se diferencia do atendimento pontual por contar com a definição de alternativas e a definição da continuidade da ação após a Constelação Organizacional.

O conhecimento de Hellinger no contexto da Constelação Organizacional

Bert Hellinger observou que existem três condições principais que precisam ser respeitadas para o bom andamento dos sistemas e de suas relações.

São elas o direito de pertencimento, o equilíbrio das relações em um sistema e a prioridade daqueles que vieram antes, ou “pertencimento, equilíbrio e ordem”.

Se dentro do campo familiar sua correlação é rápida, para aplicação no campo organizacional é necessário compreender as particularidades desses parâmetros neste campo.

Um diferenciação entre o trabalho original de Hellinger e a aplicação deste conhecimento é que empresas não são famílias. São um grupo de pessoas direcionadas por um objetivo.

Por isso há uma diferenciação na forma como essas leis do relacionamento são aplicadas.

O pertencimento, o equilíbrio e a ordem

O princípio do pertencimento, por exemplo, reconhece que uma pessoa faz parte de uma empresa por tempo limitado. Dessa forma, o pertencimento está vinculado ao tempo entre a contratação e a demissão de um funcionário, se isso ocorrer.

O equilíbrio está nas relações entre empresa e colaboradores, os colaboradores entre si,  na relação da empresa com o mercado que atua, empresa e fornecedores, etc.

Há de se buscar o equilíbrio, nem mais nem menos, dentro da possibilidade e dos acordos de troca existentes na organização.

A ordem ou a hierarquia é outra lei que tem uma diferença em relação à aplicação familiar. A hierarquia é validada como aqueles que chegaram antes ao sistema. Porém ela depende do contexto.

Uma vez que o sistema empresarial é direcionado para um objetivo, mudanças feitas com o foco no objetivo da organização justifica, por exemplo, que alguém externo entre numa posição de liderança, na frente de outras pessoas que já fazem parte da organização há mais tempo.

Por outro lado, é possível perceber que esse novo membro terá mais sucesso se fizer as mudanças necessárias respeitando a história do que foi feito anteriormente, e do seu lugar, com a autoridade que lhe foi atribuída, sem negar ou “excluir” os acontecimentos passados.

“Aqui é importante o novo aplicar a sua posição superior de gerência com uma atitude de respeito e honra em relação ao mais velho, para não violar o significado duplo irredutível da prioridade para o sistema: a prioridade baseada em pertinência e idade, por um lado, e a prioridade devida ao cargo, função e trabalho, por outro.” Grochowiak e Castella, extraído do livro “Constelação Organizacional”.

Empresas familiares e de pequeno porte

Em empresas familiares e/ou de pequeno porte, é impressionante como a história familiar do proprietário muitas vezes se mistura com o campo empresarial. Assim, muitas vezes dificuldades percebidas na empresa tem origem na história pessoal do empresário.

Nesses caso, o que se passa com o proprietário em sua vida, de alguma forma se manifesta na sua empresa e no sistema dela.

Já nas empresas de maior porte, o campo empresarial é mais bem definido e fechado, embora, em alguns casos, sofra a influência da história familiar dos fundadores. Nas grandes empresas, os grandes conflitos sistêmicos poderão dar-se entre as áreas e departamentos e nestes casos a consultoria sistêmica pode ser um grande aporte para que a direção visualize como estes conflitos atuam e como se pode caminhar para solucioná-los. 

Resultados da Constelação Organizacional

A Constelação Organizacional e a Consultoria sistêmica tem se mostrado uma grande ferramenta no momento de olhar uma dificuldade que se materializa na empresa.

Através da teoria sistêmica de Bert Hellinger e dos conhecimentos trazidos por seus estudos e observações nos campos dos relacionamentos sistêmicos, é possível olhar de forma profunda para aquilo que atua dentro de uma organização.

Com a informação que surge desta forma de trabalho, novos movimentos podem ser feitos, ligados com uma melhora de rendimento da organização e de novos resultados atrelados aos objetivos do sistema empresarial.

E da mesma forma que tem ajudado muitas pessoas a encontrarem novas possibilidades para sua vida na aplicação terapêutica, a Constelação Empresarial ou Constelação Organizacional tem auxiliado diversas empresas a ajustar a rota e alcançar novos e produtivos resultados.

O Instituto Ipê Roxo e a Constelação Empresarial

O Ipê Roxo – Instituto de Desenvolvimento Humano é pioneiro em Florianópolis no trabalho com a Constelação Familiar e Sistêmica. Foi fundado pelos consteladores Sonia Farias, Maria Inês Araujo Garcia Silva, Paulo Pimont e Ana Garlet.

Ana Garlet é a responsável no Instituto pelo trabalho de Consultoria Empresarial Sistêmica, e poderá ajudá-lo em caso de dúvida ou se você quiser uma nova informações sobre esta forma de trabalho com empresas.

Este forma de consultoria, aliado com o conhecimento de Bert Hellinger sobre os sistemas e relacionamentos, tem se mostrado de grande força e possibilitando muitas pessoas, empresários e organizações a encontrar o caminho necessário para a produtividade e bons resultados.


Fale conosco pelo formulário abaixo e saiba mais sobre nossa agenda de cursos, grupos e consultoria sistêmica para empresas.

– As empresas sob o olhar da Constelação Familiar”]

Deixe uma resposta