O que a vida espera de você? – Um artigo da Constelação Familiar e Sistêmica de Bert Hellinger

Nos mantemos numa posição de prisioneiros do ego diariamente: o que eu quero? o que eu mereço? Quando algo irá acontecer para mim?


Nossa visão é estruturada pelo ego. Não é por maldade nem falta de caráter. Talvez nem mesmo um individualismo exacerbado. Apenas essa é a forma que nós, humanos, conseguimos lidar com o mundo: preciso do meu eu para ter ao menos uma referência segura de lugar para me relacionar com o meio.

Ainda assim, esse condicionamento pode também nos colocar em uma armadilha: um local que nos tira a responsabilidade sobre nossas ações e sobre o que está para além de nós.

Se voltarmos um pouco, algumas gerações anteriores a você, encontraremos seus avôs e suas avós. Você consegue perceber que sua existência está pautada pelas decisões que eles tomaram?

Sim, pois se essas quatro pessoas não tivessem se encontrado, não existiria seu pai e sua mãe. E sem eles, não existiria você.

A pergunta, se voltarmos um pouco, é: Antes de tudo acontecer, quando eles ainda eram jovens, o que a vida esperava dos seus avós?

 

A trajetória da vida

Esse é um exercício que nos ajuda a compreender um pouco o fluxo da vida tão falado na Constelação Familiar. Você, de uma geração posterior a todo aquele acontecimento, consegue então ver que há um fluxo, que caminha em alguma direção.

Seus avós fizeram algo, e passaram esse fluxo adiante. Os seus pais receberam, e o fato de você estar aqui, lendo esse texto, comprova a eficiência deles em passar esse fluxo adiante. E agora, talvez, a vida espera algo de você.

Isso não significa gerar filhos como uma obrigação. Essa é uma decisão pessoal de cada um, e ambas as possibilidades tem seu valor. Mas fala da coragem de desempenhar um papel na vida que sirva para aquilo que se desenha através de nós.

É estar ciente principalmente que somos parte de um fluxo que viaja já há muito tempo, e continuará viajando por muitos outros anos ainda. Se é possível compreender isto, o que você pode fazer com a oportunidade que lhe foi dada?

 

As dificuldades

Por vezes esse fluxo também nos apresenta dificuldades. São pontos onde afetos se entrelaçam e se tornaram um nó, bloqueando coisas que esperávamos receber. Então de repente, percebemos nossa vida com um peso, talvez até pensemos que algo que recebemos não valha a pena.

Precisamos olhar novamente para o fluxo, com os olhos de um adulto maduro e responsável. Nossos pais, como pessoas bem comuns, passaram por momentos de dúvidas, como nós muitas vezes passamos. Eles também, ainda que em seus papéis de pais, permanecem filhos dentro do círculo de sua família de origem.

Talvez neste lugar, carências podem não ter sido atendidas, alguns movimentos de acesso possam ter sido interrompidos. Algo pode ter ficado fora do lugar.

Sim, nós somos iguais a eles.

O que sentimos hoje, talvez eles tenham sentido em algum dia. Talvez ainda sintam. Mas eles seguiram adiante, da forma como foi possível.

Nossos avós, também eles foram filhos, no círculo de sua família de origem. E talvez eles também tenham tido algumas de suas carências não atendidas. Porém, da forma como foi possível, eles seguiram em frente.

 

O olhar para adiante

Olhamos para apenas duas gerações antes de nós, mas em um breve exercício é possível perceber como essa linha vai longe. Continua em nossos bisavós, trisavós… e assim por diante.

A realidade que cada geração viveu é diferente da anterior, em muitos aspectos. A cultura muda, os leis mudam, a organização da sociedade muda, assim como os valores predominantes.

E essa linhagem, da qual você faz parte, foi vivendo o que compunha seu tempo. Essa é a experiência acumulada do seu campo familiar. Nelas estão as alegrias e as dores de pertencer a essa história, que atuam em todas as gerações.

Por isso se fala bastante na Constelação de assumir a força contida na sua história. A vida, na sua linhagem, não foi destruída. Não importa as dificuldades que surgiram, a sua linhagem a superou. E seguiu adiante, da melhor forma possível. E permanece em você.

 

O fluxo

Esse é o fluxo que olhamos na Constelação Familiar. Através dos conhecimentos trazidos por Bert Hellinger e outros estudiosos que trabalham com a questão sistêmica, de como estes fatos ocorridos refletem-se no estado atual da linhagem, é possível perceber que dentro de nós há um espaço reservado para reflexos da nossa história familiar.

Se ainda inconscientes desses desdobramentos, nos deixamos levar por essas dores que estão no nosso sistema e damos costas ao fluxo, olhando somente para o passado. Então tudo paralisa. A vida que deseja passar através de nós encontra uma barreira.

Quando permitimos olhar para a dor e para as dificuldades, e num respeitoso (e real) espaçamento daquilo que aconteceu, soltamos nossas amarras do que é difícil e tomamos nosso lugar novamente no fluxo. A vida encontra em nós novamente um caminho para seguir adiante.

Esse espaçamento é verdadeiro por uma questão lógica: o que foi difícil, aconteceu a outras pessoas, e não a você. É necessário se ocupar do lugar a que se pertence, ao invés de se deslocar para outros.

Na sua vida, ocupe-se com aquilo que faz parte do seu desenvolvimento e das suas dores. Todos nós temos nossas questões na vida. Como escreveu Hellinger: “Antes de tudo, que o indivíduo seja entregue a si mesmo, e não se ocupe de sentimentos alheios como recurso para escapar dos próprios, distraindo-se de si mesmo.

 

 

A pergunta

Então, olhando para o seu lugar novamente, agora com essa visão ampliada do fluxo, o que será que a vida espera de você?

É possível perceber que você faz parte de um caminho pelo qual a vida passa? E que neste lugar, há um papel a ser desempenhado?

Esse papel se mostra através da sua vida: suas realizações, seus relacionamentos, sua iniciativa, os reflexos das suas atitudes no dia a dia. Tudo faz parte de algo que acontece em você e através de você.

Algo que chegou de longe, e pede caminho para continuar, se você permitir. Se este fluxo for percebido como algo valioso, será mais fácil para você aceitar as condições pelo qual foi possível que ele chegasse até você. Tanto as dores quanto as alegrias do caminho.

Se não, é possível que você o experimente como algo pesado e difícil. Se for isso, não hesite em pedir ajuda. Talvez releia esse texto, e com a imaginação, encontre uma imagem para ajudar a visualizar todas as possibilidades que estão contidas em sua história.

Pela nossa experiência nas Constelações Familiares, nós sabemos: a vida te deseja, e quer algo de você.


O Ipê Roxo – Instituto de Desenvolvimento Humano é pioneiro em Florianópolis no trabalho com as Constelações Sistêmicas. Foi fundado pelos consteladores Sonia Farias, Maria Inês Araujo Garcia Silva, Paulo Pimont e Ana Garlet.

Constelação Sistêmica é uma nova abordagem da Psicoterapia Sistêmica Fenomenológica criada e desenvolvida pelo alemão Bert Hellinger após anos de pesquisas com famílias, empresas e organizações em várias partes do mundo.

O resultado desses estudos se transformou em um trabalho simples, direto e profundo que se baseia em um conjunto de leis naturais que regem o equilíbrio dos sistemas que o próprio Bert gosta de chamar de “Ordens do Amor”.


Saiba mais sobre o nosso curso vivencial das Constelações Familiares “Jornada Ipê” e entre em contato com o fluxo que atua em sua vida.

Utilize o questionário abaixo para entrar em contato conosco.

 

Deixe uma resposta