Um novo início: o Curso do Direito Sistêmico do Instituto Ipê Roxo

O primeiro módulo do Curso sobre o Direito Sistêmico, ministrado por Paulo Pimont, aconteceu neste fim de semana, em Florianópolis.


No último sábado e domingo, aconteceu o primeiro módulo do curso de Direito Sistêmico.

Uma turma formada por operadores do Direito e também profissionais de outras áreas, todos interessados em aprender uma novo olhar para a resolução de conflitos.

Vivenciamos neste 2 dias do primeiro módulo as noções das Constelações Sistêmicas de Bert Hellinger e sua aplicação naquilo como conhecemos como Direito Sistêmico.

 

Os primeiros: um grupo pioneiro

Percebemos que este é um grupo muito especial. Profissionais dispostos a olhar além de seus próprios limites, pessoas comprometidas em fazer o seu melhor para que uma nova realidade possa ser construída dentro do mundo jurídico.

Um grupo que se expôs ao novo com confiança e presença. Foi possível ver nos olhos de cada um aquele brilho de quem quer conhecer o seu lugar e sabe que pode sim, fazer parte de um movimento novo.

Um grupo que acredita e tem no coração uma motivação para a paz. Pessoas que querem enxergar a verdade do outro.

Nosso programa caminhou pelo Surgimento histórico das Constelações Sistêmicas, apresentação das Bases Científicas, Emaranhamentos Sistêmicos, O que é Direito Sistêmico e resultados já obtidos, Onde surgem os conflitos, Onde começa a Paz, Empoderamento das partes do processo.

Nesse caminho, os alunos foram entrando em contato com algo profundo de sua história, abrindo espaço para uma nova postura de atuação profissional que tem trazido grandes resultados no nosso sistema Judiciário.

 

Com a palavra, Paulo Pimont

 

“Um grupo muito profundo que decidiu iniciar a caminhada no curso de direito sistêmico do Instituto Ipê Roxo.

Fomos conduzidos por essa alma do grupo, cada um contribuiu de uma forma especial para aquilo que foi construído nesta primeira etapa. As dinâmicas que se mostraram durante este final de semana nos levaram a uma realização profunda a respeito de onde surgem os conflitos.

E encerramos este final de semana olhando para o caminho da paz.

Qual o caminho que se abre para a paz quando olhamos para as dores, para aqueles que morreram, vítimas e agressores, e damos um lugar para todos em nosso coração?

Assim, inicia-se um olhar e uma caminhada em direção à paz.

Outra coisa especial a respeito deste final de semana, é olhar para a Constelações Familiares e o Direito Sistêmico como um retorno, uma volta ao essencial. O essencial que é a própria vida, a vida que veio de nossas origens.

A vida que veio de nossa família e nossos antepassados. Com ela recebemos toda a nossa força, e recebemos também todas as nossas dores e somos influenciados por ela na nossa atuação profissional.

E quanto mais claro isso fica, melhor e mais eficiente é esse profissional. Com o olhar amplo e livre de emaranhamentos.

Para que possamos ter uma relação com o Direito e com o Judiciário cada vez mais eficiente e cada vez mais leve.”  

 

Um fim de semana dedicado ao Direito Sistêmico

Outros professores do Instituto tiveram presentes no curso. As professoras de Constelação Familiar Maria Inês Araújo Garcia da Silva e Ana Garlet participaram desse módulo falando das bases da Constelação Familiar de Bert Hellinger.

Este é o conhecimento que guiou o Juiz brasileiro Sami Storch para a aplicação do Direito Sistêmico. Neste curso, uma parte do primeiro módulo foi dedicada a situar os alunos neste conhecimento, abrindo caminho para movimentos dos módulos subsequentes.

Além disso, abordar o conhecimento da Constelação Sistêmica permitiu aos participantes que entrassem em contato com a sua própria história e suas dores. Assim, para muitos ali ficou claro o motivo de estarem se dedicando ao Direito.

Paulo Pimont percebe, em sua experiência neste campo, como os profissionais do Direito muitas vezes estão ligados a área profissional por algo de sua própria história familiar. A busca da justiça é algo que muitas vezes foi uma experiência dolorosa para o sistema de cada um deles.

Quando se tem esta consciência, libera-se espaço para que cada um trabalhe mais completo e leve, menos movido por um “silêncio barulhento” que atua na sua alma.

Em vez da busca de uma pesada compensação transgeracional, cada um ocupa-se somente de fazer o melhor possível em seu campo de atuação. Esse é o primeiro grande movimento que vemos nos alunos.

 

Com a palavra, a advogada Juliana Foggaça

“Para falar sobre o curso, talvez devesse começar pelo começo. Mas eu só consigo agora me lembrar de como ele terminou no domingo. A sensação que eu senti  de ver 18 anos de história da minha atuação jurídica, da constante busca pela humanização da Justiça – não só minha – mas dos gestores dos tribunais, pessoas ligadas à magistratura, servidores, advogados, os cidadãos.

De uma certa forma ganha mais força, em um único final de semana.  Eu vi aproximadamente 30 pessoas empenhadas em melhorar o seu exercício profissional.

Em como fazer diferente, percebendo que o único modo de fazer é olhar para dentro de nós mesmos.

A minha palavra: despedida. Após trazer luz ao direito tradicional, novas possibilidades florescem para algo novo que está acontecendo. Eu pude me despedir do que eu conhecia, porque algo novo está surgindo.

Com calma, tranquilidade e muito respeito a tudo que foi até aqui. Nesses 2 dias, falou-se sobre as leis de Bert Hellinger. O Paulo conduziu brilhantemente a passagem do curso, a introdução dessas pessoas nesse mundo desconhecido.

E me honrou, por vários momentos, ao me passar o bastão da fala. Assim, eu pude contar como tenho exercido a minha profissão nesses últimos dois  anos, desde que conheci o Direito Sistêmico.

Não há como voltar ao antes, depois de ser tocada na alma por esse caminho. Com absoluto respeito às partes, a sua lealdade familiar e tudo que as conduz até aqui. Tudo que as conduz até nós, até o atendimento que se presta. E a postura desse profissional, que se propõe a ajudar com dignidade e respeito ao que o cliente traz.

Que encontra maneiras jurídicas de traduzir o equilíbrio, respeita o pertencimento e a ordem.

Foi lindo. Meu coração ainda está preenchido, com tudo que foi vivenciado, neste sábado e domingo. Gratidão.”

 

Próximos passos

O curso terá seus próximos dois encontros em junho e agosto, quando se fecha o terceiro módulo.

Nesses encontros, vamos caminhando pelo Direito Sistêmico, olhando para sua aplicação e estudos de casos. A cada passo, cada aluno vai percebendo como essa forma de lidar com o conflito pode ser transformado em resultados e conciliação.

Para aqueles que se sentem curiosos em saber mais sobre o Direito Sistêmico, entrem em contato conosco. Temos alguns eventos especiais sobre o assunto, além de um Núcleo de atuação em iniciativas no Direito que podem auxiliar você neste novo caminho.

 

Faça parte deste movimento novo

E se você também quer fazer parte deste movimento que está chegando com tanta força no judiciário brasileiro, você pode fazer sua pré-reserva para a próxima turma que será aberta em breve. É só acessar AQUI.


O Ipê Roxo – Instituto de Desenvolvimento Humano é pioneiro em Florianópolis no trabalho com as Constelações Sistêmicas. Foi fundado pelos consteladores Sonia Farias, Maria Inês Araujo Garcia Silva, Paulo Pimont e Ana Garlet. Constelação Sistêmica é uma nova abordagem da Psicoterapia Sistêmica Fenomenológica criada e desenvolvida pelo alemão Bert Hellinger.

Conhecimento este desenvolvido após anos de pesquisas com famílias, empresas e organizações em várias partes do mundo. O resultado desses estudos se transformou em um trabalho simples, direto e profundo. Baseia-se em um conjunto de leis naturais que regem o equilíbrio dos sistemas que o próprio Bert gosta de chamar de “Ordens do Amor”.


Instituto Ipê Roxo de Desenvolvimento Humano

Rua Ayrton Roberto de Oliveira – 64, Centro Empresarial Isola Sarezzo, andar 7 – Bairro Itacorubi – Florianópolis – SC – Brasil.

Fale conosco 48 99177.0079


Quer falar conosco? Utilize o espaço abaixo.

Deixe uma resposta